Avançar para o conteúdo

Condições de adoção

A MIAR dirige o seu foco de ação, FUNDAMENTALMENTE, para os animais de rua, porém, é também nas ruas que aparecem todos os animais abandonados, são animais que se distinguem dos errantes por serem meigos, inadaptados às condições do meio, indiferentes aos perigos, sem defesas ou instintos que lhes permitam sobreviver nestas condições. Esses são os animais que resgatamos por sabermos que não vão conseguir sobreviver na rua.

 

A maior parte dos animais abandonados, nem tão pouco chegam a integrar uma colónia, morrem antes disso acontecer, nas condições mais miseráveis, atropelados, atacados por cães, à fome, à sede. Quando doamos animais, queremos garantir (na medida do possível) que não voltarão a sofrer uma situação de abandono.

Não escolhemos idades, cores, raças, o único critério é resgatar os que têm necessidade de viver numa casa.

 

Somos uma associação de proteção animal com uma política de triagem nas adoções. No caso dos canis municipais não é possível fazer qualquer triagem dos adotantes, tenham ou não eles condições para se responsabilizar por um animal. Por isso, se já adotou animais em canis municipais e agora vai adotar uma associação, prepare-se, vai ter de responder a algumas perguntas. O nosso foco é sempre o superior interesse do animal.

 

Os animais são doados microchipados, esterilizados, desparasitados e os adotantes são devidamente informados dos seus traços de personalidade à data da adoção. É assinado um CONTRATO DE DOAÇÃO DE ANIMAL DE COMPANHIA e cobrada uma taxa de adoção para cobrir parte das despesas com os procedimentos veterinários normais (esterilização, microchip, desparasitação).

 

Esta taxa de adoção permite que a MIAR não tenha despesas excessivas com animais que irão integrar uma família já que, todas as despesas com aqueles que vivem na rua, sem um tutor, são suportadas NA ÍNTEGRA pela MIAR. Os adotantes também beneficiam destes atos médico-veterinários, uma vez que a Associação usufrui de preços especiais junto dos seus parceiros.

 

Se concorda com a nossa política de adoção, contacte-nos, temos sempre animais disponíveis para doação a famílias responsáveis.

 

Antes de adotar um animal, deve ter em conta diversos fatores:

 

Antes de mais, lembre-se, adotar um animal é assumir um compromisso para a vida. Implica ter condições físicas, psicológicas e financeiras.

Um animal precisa de atenção, estímulos, alimentação adequada e cuidados de saúde periódicos. Há ainda outros fatores que devem pesar nesta decisão, a disponibilidade de tempo e saber se a personalidade do animal casa com a do adotante. Garantidas estas condições, quem gosta de cães e de gatos, deve escolher para adotar a espécie que melhor se adapte às dimensões da casa e ao tipo de vida do adotante.

 

Uma casa mais pequena e sem jardim, será mais indicada para gatos, desde que tenham um ambiente enriquecido, adaptam-se bem a viver exclusivamente no interior. Quanto aos cães, o melhor mesmo é conhecer a sua personalidade e as necessidades do cão que vai adotar. Nem sempre um cão de porte pequeno tem menos necessidade de exercício que um cão de porte grande. 

 

O mais importante é ponderar muito bem antes de adotar um animal e quando o fizer, estar consciente de tudo o que essa decisão implica de bom e de menos bom.

Tradução